quinta-feira, novembro 15, 2007

Tudo bem...

Tudo bem que eu nunca fui de escrever post todos os dias... as vezes nem um por semana eu conseguia escrever... mas dessa vez o blog ficou abandonado mesmo... por varios motivos... mas o mais importante deles eh que eu não estava bem pra escrever. Não quero vir pra ca pra ficar so reclamando da vida. Tudo bem, uma reclamadinha basica aqui e ali, mas se eh pra ficar so reclamando, eu prefiro ficar na minha, resolver os meus problemas e depois vir aqui contar pra vocês e falar de coisas boas.
Então, foi isso que eu fiz. Eu parei de trabalhar no inicio de outubro e me mudei aqui pra Groningen. Desde então, estou tentando colocar essa casa do meu jeito. Pintei nosso quarto, trouxe alguns moveis de Tiel, fiz faxina... Agora o nosso quarto esta pronto, so faltam objetos de decoração, quero comprar um quadro pra colocar em cima da cama e umas coisinhas legais pra decorar.
Ao mesmo tempo, começaram as obras na sala. Estamos construindo uma serre. Pra quem não sabe o que eh, ta aih o link. Acho que no Brasil chamamos isso de jardim de inverno. A sala ta uma zona. Hoje eles quebraram duas paredes e fecharam com madeira... ta "lindo".
E ainda ao mesmo tempo, Maridim esta construindo o quarto do bebê. Sim, porque chamamos 3 empresas aqui pra dar orçamento e uma sumiu, e as outras duas disseram que estavam sem tempo, tinham muito trabalho e so poderiam começar em janeiro. Maridim diz que eh porque eh muito pouco trabalho fazer o quartinho e eles preferem pegar obra grande... coisas de pais onde ta chovendo emprego e faltando mão de obra... Então, Maridim ta fazendo tudo junto com um amigo dele... ja fizeram toda a parte eletrica, Maridim colocou o teto, ajeitou as paredes e fez 2 armarios... fico impressionada, como o danado eh habilidoso... eu tinha um marceneiro em casa e não sabia... Enfim, as obras do quartinho estão andando, devagar, mas ta andando.
E aih você pergunta, mas e os problemas? Os problemas estão na minha cabeça. O problema eh que eu pensei que eu queria parar de trabalhar, ficar em casa curtindo a minha gravidez e arrumando a nossa casinha do meu jeito, mas eu não quero. Eu não sei ficar parada. Nunca fiquei. Sempre trabalhei e desde que cheguei aqui na Holanda ainda não tinha parado. Meus primeiros 6 meses aqui foram so de cursos pra aprender esse idioma. Eu ia pra aula todo santo dia, estudei muito, dia e noite e fiz o NT2 em menos de 6 meses morando aqui e passei. Depois fui me embora pro Brasil, fiquei um mês la, voltei pra ca e na semana seguinte comecei a trabalhar na mesma empresa em que estava ate agora. E agora estou parada. Com tempo suficiente pra relaxar, curtir minha casa, meu marido, meus gatos... mas isso não eh pra mim.
Ser "dona de casa" gerou um conflito muito grande em mim. Eu sempre gritei pra quem quisesse ouvir que eu NUNCA seria dona de casa, que eu sempre trabalharia fora, nem que o meu salario fosse todo pra pagar empregada. Falo isso desde que eu me entendo por gente. Mas aih tem tambem o outro lado... e gravidez faz a gente enxergar o outro lado... eu não posso negar que ter a minha mãe em casa cuidando integralmente de mim e do meu irmão durante a nossa infância foi fundamental pra ser hoje quem eu sou. O que ela fez por nos não tem preço. E eu queria ser tão generosa como ela foi e ficar, nem que fosse por uns 4 anos em casa, somente cuidando do meu filhote, formando a base da sua personalidade e dando a ele todo amor e atenção que ele necessita.
Eu sei que esse assunto ja gerou e gera muita polêmica por onde passa, so que agora a polêmica ta aqui dentro da minha cachola... Eu admiro e respeito muito quem doa anos da sua existência se dedicando a cuidar da familia. Mas sera que isso eh bom pra todo mundo? Sera que essa formula funciona em toda familia? Sera que se eu decidir ficar em casa por 4 ou 5 anos cuidando da minha familia eu vou me tornar uma pessoa amarga, frustrada e infeliz? Sera que ter uma mãe assim em casa todos os dias sera bom pro meu filho? Ou seria melhor ir pra creche 2 ou 3 dias na semana e o resto da semana ter uma mãe feliz e realizada, capaz de dedicar com amor todo o seu tempo livre a familia?
A conclusão que eu cheguei foi a seguinte (se você tiver outra opinião e quiser dividir comigo, fique a vontade): ser dona de casa ou não eh uma decisão que so cabe a cada mulher (ou homem no caso dos "donos de casa"). O sucesso dessa "formula" depende do que a propria mulher pensa de si mesma nessa posição. Tem mulheres que pensam "ah, eu devo viver uns 80 anos, e eu decido dedicar 5% desse tempo ao meu filho, eu quero fazer isso por ele (ou por toda a nossa familia). Quero curtir todos os passinhos do meu filho". Enquanto isso outras pensam "eu ate gostaria de me dedicar integralmente ao meu filho, mas se eu fizer isso, eu me sentirei infeliz, desvalorizada, frustrada." O que eh a situação perfeita pra uma, eh um pesadelo pra outra, e isso não quer dizer que uma ame mais a familia que a outra. Cada um eh um e não existe uma "formula" que faça todo mundo feliz. O importante eh cada um estar feliz com as suas escolhas e deixar que o outro decida por si proprio.
Eu, certamente, não estou feliz com a escolha de ficar em casa. De repente, quando o bebê nascer, eu mude. Acho dificil, mas tudo eh possivel. Mas e agora? Quem vai empregar a estrangeira gravida? Ninguem, claro. Então voltei a estudar holandês, porque acho que so quem esta aqui sabe, ser fluente nessa lingua eh um trabalho arduo, que exige anos de dedicação... Alem disso, estou com outros projetos pra depois que o bebê nascer. E, enquanto o bebê não vem... vou pro Brasil em janeiro aproveitar o calor de 40 graus da minha cidade e o carinho da familia e dos amigos... porquea saudade as vezes tambem faz a gente pirar...

10 Comentários:

Às quinta-feira, novembro 15, 2007 9:32:00 PM , Blogger Aline disse...

Amiga
Esta conversa ja foi regada a bolo de cenoura feito po ti (ai q delicia), vc disse exatamente oq ja conversamos, agora pare e se concentre neste bebe lindo...
beijocas
Aline e super junior

 
Às quinta-feira, novembro 15, 2007 10:23:00 PM , Anonymous Eliana disse...

Patrícia querida...ser mulher no mundo de hoje não está sendo fácil...como vc voltou no tempo, lembrando de quando era criança...temos nossos sonhos, anseios, medos, coragem... é ótimo quando se tem objetivos na vida! Acho que na verdade vc está "se cobrando". Acho que toda mulher passa por esta provação...é um chip que tá lá embutidinho no nosso cerébro. Um medinho em relaçao ao futuro com um filho pra uma vida inteira...Ahhh tudo é normal...e isso inclui tudo o que está dentro desta sua cabecinha...mas não se apoquente não... tudo a seu tempo...e se a sua vontade for a de trabalhar, vai em frente...o importante é ser feliz com ou sem jornada dupla! hahaha Super beijo e tudo de bom!

 
Às sexta-feira, novembro 16, 2007 8:42:00 PM , Anonymous Cris- nogueira_cristina@hotmail.com disse...

Oi Patricia,
Sou aquela amiga da Fernanda, de Rotterdam, e tbem estou grávida :)
Uma das coisas q eu estou há tempos prá te falar é sobre o moeders voor moeders; pode ser que vc já saiba sobre isso, mas enfim, achei legal deixar a dica. Durante um certo período da gravidez, vc pode doar a sua urina que servirá no tratamentos de mulheres que têm dificuldade de engravidar. É meio incômodo ficar fazendo xixi na tal tigelinha mas é só por algumas semanas e pode ajudar muitas mulheres :)
Fora isso, adorei a sua colocação sobre esse assunto de ficar em casa ou trabalhar ou até de combinar os dois.
Minha mãe, ao contrário da sua, trabalhou durante toda a nossa infância mas sempre foi muito presente mesmo assim.
Eu, assim como vc, tbem sempre disse que não queria ser dona de casa e, agora, com a gravidez, não tenho tanta vontade de trabalhar tão duro e por tantas horas semanais; mas se quiser continuar viajando pro Brasil todo ano, preciso continuar... enfim, preciso estudar bem a situação para tomar qualquer decisão.
Nossa... já escrevi um livro aqui :S
Bom, se quiser entrar em contato a gente pode se falar melhor sobre essas coisas :)
Beijos!
Cris

 
Às sexta-feira, novembro 16, 2007 8:50:00 PM , Anonymous cris disse...

Achei q ficou meio 'esquisito' meu comentário 'comparando' a maneira com que as nossas mães resolveram nos educar.
Só quis confirmar aquilo que vc escreveu:
"ser dona de casa ou não eh uma decisão que so cabe a cada mulher (ou homem no caso dos "donos de casa"). O sucesso dessa "formula" depende do que a propria mulher pensa de si mesma nessa posição." ; "Cada um eh um e não existe uma "formula" que faça todo mundo feliz. O importante eh cada um estar feliz com as suas escolhas..."
Concordo em gênero, número e grau ;)

 
Às sexta-feira, novembro 16, 2007 9:54:00 PM , Blogger Andy disse...

Patricia,

Independente da escolha do momento, saiba que sempre existem outros caminhos (melhorres e piores), mas o caminho que escolheste neste momento deverá ser vivido com felicidade e acreditando que é o melhor. Viva cada momento com calma e não pense muito e não se fruste com o futuro.
HOJE SEU NENÉM É A MARAVILHA DO MOMENTO E VOCÊ TEM QUE CURTIR SEM PREOCUPAÇÃO... PELO MENOS POR ENQUANTO!
Sempre estarei do seu lado...
Não vejo a hora de você chegar aqui para assarmos juntas no calor de 40 graus (rs).
Beijos.

 
Às sábado, novembro 17, 2007 8:48:00 AM , Anonymous Susana disse...

Patricia !

Essa parece ser uma discussao sem fim, nao e' mesmo ?
E' preciso que cada mulher adapte seus anseios `as suas possibilidades tambem. Senao, para muitas, fica parecendo discurso vazio.
Ha' mulheres que gostariam de ficar cuidando dos filhos e se dedicando `a familia, mas a situacao financeira nao permite.
Outras, tem situacao financeira adeuqada, mas nao conseguem engravidar.
Outras tem as duas coisas mas entram em conflito.
Agora, e' tempo de se dedicar `a gestacao. Portanto, relaxe e viva essa realidade (liiinda!!!)que voce nao pode mudar.
Depois de ter o bebe, voce podera' escolher, sem culpas, qual a melhor solucao para voces, como familia.
Agora, voce pensa nos seus sonhos e planos, mas depois, voce tem de pensar por dois. O que nao e' ruim. E' o exercicio da renuncia, que vem incluido no pacote das maes..... hehhehehe
Muita saude e tudo de bo m!!!


Bj,

Susana

 
Às terça-feira, novembro 20, 2007 12:47:00 PM , Blogger Naldy disse...

Oi Patricia,
Entendo bem o seu dilema, se por um lado quer curtir o filhote, tb quer crescer como profissional.
Eu parei. Curti filhos. Mas se voltasse ao tempo nao faria novamente. Nao vejo a 'grande' diferenca. Minha mae sempre trabalhou na epoca em que mulher era para ficar em casa. Nos somos uma familia unida. Nada diferente, ninguem frustrado porque ela trabalhava. Pelo contrario cresci mais que meus filhos por me terem em casa. Hoje os kids veem a mae trabalhando e gostam.
Mas isso voce vai ver quando o baby nascer. Por enquanto curta. aproveite bem o tempo para passar mais dias no Brasil, coisa que quando trabalhamos nao da.
BJS

 
Às domingo, novembro 25, 2007 1:58:00 PM , Anonymous Veridiana Serpa disse...

Oi Patrícia, o Aqui na Holand, foi post no Brazilians Abroad: http://braziliansabroad.com/2007/10/24/aqui-na-holanda

 
Às terça-feira, novembro 27, 2007 12:58:00 PM , Blogger DaniG. disse...

Cheguei aqui através do blog da Aline !!! Parabéns pela gravidez... tenho dicas "otimas" no meu blog (rs) !!!

Estou sem trabalhar ainda, decimos que esperaria até o baby ter um ano... e estou piraaando :)

 
Às terça-feira, novembro 27, 2007 1:48:00 PM , Blogger Vi e falei disse...

E comentei no post errado. Mas disse: Relaxa...quando o nenem chegar, este tempo a mais vai ser tudo de bom. E depois vc volta para as "nóias...rs" mas só depois de curtir bastante e agradecer muito a Deus por este tempinho a mais com ele/ela

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial